segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Duas concepções e o aborto do aborto

"Havia um esforço para banalizar a vida, com divulgação exagerada de dados incorretos. A legalização do aborto não resolveria o problema da saúde da mulher. O que precisa é o governo melhorar a oferta de informações sobre a concepção e não ficar correndo atrás do prejuízo"
Clóvis Boufleur, diretor de Relações Institucionais da Pastoral da Criança, sobre o projeto de descriminalização da prática do aborto, rejeitada ontem por 70% dos votos dos cerca de 2,7 mil delegados da 13ª Conferência Nacional de Saúde.

"Foi um absurdo não permitirem a discussão de um assunto tão polêmico como esse. Na visão do ministério, o aborto é um problema grave de saúde pública. É a segunda causa de internação obstétrica no SUS. As vítimas do aborto mal feito são as mulheres negras e pobres, que não têm condições de pagar por clínicas que fazem abortos. Não permitir que sejam atendidas devidamente é uma hipocrisia. É uma crueldade"
Adson França, diretor do Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas do Ministério da Saúde, Indignado com o resultado da conferência

Nenhum comentário: