quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Algumas pérolas do Presidente Lula em 2008

Como não são todos os países que podem se orgulhar de ter um presidente intelectual como o nosso, resolvemos fazer nesse fim de ano uma retrospectiva do que melhor foi dito pelo nosso ilustríssimo Presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelos quatro cantos do mundo nesse ano de 2008.

Como em se tratando de Lula pérolas é o que não faltam, resolvemos organizá-las em categorias, o que de certa forma, também comprova que o nosso presidente entende bem de todas as áreas.

Segue abaixo:

SENSÍVEL

“Tô aqui vendo meus companheiros portadores de deficiência física, tô vendo o Arnaldo Godoy sentado tentando me olhar, mas ele não pode me olhar, por que o Arnaldo Godoy é cego.”

ESTRATEGISTA

“Não adianta ter um bando de Generais e Soldados”, falando no Clube do Exército em 15 de dezembro.

DIPLOMÁTICO

“Eu conheço o Panamá só de dormir companheiro, até recentemente sempre que eu ia a Cuba sempre tinha que dormir uma noite no Panamá”,  se dirigindo ao embaixador do Panamá em Brasília.

MATEMÁTICO

“Aprendi a contar até dez apesar de só ter nove dedos.”

GOURMET

“Por que ao invés de perguntar você não enche a boca de castanha?”, se dirigindo a uma repórter que perguntava sobre a saída de Henrique Meirelles do Banco Central.

PRODÍGIO

“Eu sou filho de uma mulher que nasceu analfabeta.”

SUTIL

“Eu tô com uma dor no pé direito, mas não posso nem mancar pra imprensa não dizer que eu tô mancando por que tô num encontro com os companheiros portadores de deficiência.”

ECUMÊNICO

“Um brinde ao presidente Bachar Assad.”,  o presidente da Síria não se levantou nem ergueu as taças, pois os muçulmanos não ingerem bebidas alcoólicas.

FICÇÃO CIENTÍFICA

“Vocês sabem quando Napoleão foi a China…”

CAVALHEIRO

A galega engravidou logo no primeiro dia, por que pernambucano não deixa por menos, é no primeiro dia que bota pra dentro”, a galega em questão é a Primeira Dama da República, Mariza.

GEOGRÁFICO

“O Brasil só não faz fronteira com Chile, Equador e Bolívia”, falando para empresários em Nova York, ignorando o fato de o Brasil ter 3 mil quilômetros de fronteira com a Bolívia.

HIGIÊNICO

Pô, mas isso aqui nem parece a África, é tudo limpinho“, em recente visita a África.



1- Aqui, como é muito calor, se alguém tirar o sapato a gente vai perceber antes dele jogar, por causa do chulé. Ironizando o ataque ao Presidente dos EUA, George Bush, durante o encontro com a cúplua da América Latina.

2 - Isso aqui está uma favela. Explicando ao arquiteto Oscar Niemayer, criador do projeto de Brasília, por que decidi restaurar o Palácio do Planalto.

3 – Quando disputei com FHC, o povo não teve que escolher entre um troglodita de direita e um cara comprometido. Com o Serra foi a mesma coisa. Com o Alckmin foi um atraso, porque aí era o Opus Dei, né? Sobre as eleições presidenciais que disputou.

4 – Eu continuo otimista de que a gente vai ter um grande Natal no Brasil. Persistindo de que o Brasil não entra na crise mundial.

5 – Eu defendo a verdade. O fumo em qualquer lugar. Só fuma quem é viciado. Sobre o decreto que proíbe o fumo em lugares públicos fechados.

6 – O babaca rico que já estudava não queria que o pobre tivesse chance. Em discurso em Juazeiro do Norte, CE, criticando os protestos contra o aumento da média de 12 para 18 alunos por professor nas Universidades Federais.

7 – (Como Corintiano), aprendi a ficar do lado dos fracos, dos oprimidos. Os vietnamitas eram baixinhos, magrinhos, contra americanos fortes alimentados por hambúrgueres. Em visita ao Vietnã.

8 – O homem tem a maldita mania de achar que ninguém pode botar a mão nele. Ele é todo machão, mas quando pega um câncer de próstata, é virado ao avesso. Gente, nada substitui o toque. Defendendo a realização de exames de prevenção contra o câncer de próstata.

9 – De vez em quando acho que a Amazônia é como aqueles litros de água benta que têm na igreja: todo mundo acha que pode meter o dedo.Dizendo que não recusa ajuda, mas não abre mão da soberania nas decisões sobre a Amazônia.

10 – Ou você diria ao paciente: “meu sifú” (sic). Vocês falariam isso para o paciente de vocês? Vocês não falariam. Usando uma expressão pouco usual para afirmar que sua função é falara que a crise está quase no fim, mesmo que não esteja.

Esse é o nosso Lula! Rs… rs… rs… rs… rs…


Fontes: Caixa Pretta e Blog do Robson Pires

Nenhum comentário: